Como evitar riscos operacionais em indústria de alimentos

Indústrias do setor alimentício possuem diversas rotinas e processos a serem cumpridos diariamente. Desde indústrias de pequeno porte até multinacionais, é necessário atenção na hora de realizar esses procedimentos para que não haja erros operacionais.

No setor alimentar, esse cuidado deve ser dobrado, pois estamos falando de produtos que ao final da cadeia produtiva estarão na mesa dos consumidores fazendo parte da sua alimentação. Então, é essencial que esse alimento esteja seguro para o consumo.

Muitas vezes o que causa um alimento não seguro são erros operacionais, seja um equipamento mal calibrado, funcionários que não estão aptos a operar o equipamento, o não cumprimento das Boas Práticas de Fabricação e até não utilizar checklist para o processo e o uso correto de Equipamento de Proteção Individual (EPIs).

Neste texto vamos te mostrar como evitar riscos operacionais na indústria de alimentos, principalmente com a utilização de uma ferramenta essencial para esse processo, confira:

Curso inspecione qualidade


Erros operacionais

Bom, como vimos no início do texto, são diversos os erros operacionais que podem acontecer na sua indústria. Aqui abaixo vamos listar alguns para você prestar atenção no seu dia a dia.


- Equipamentos mal calibrados

Um erro na calibração, ou a não calibração periódica dos equipamentos podem gerar erros graves dentro de uma indústria de alimentos.

Imagine uma indústria de leite UHT (Ultra High Temperature), o famoso leite de caixinha. Uma das etapas críticas do processamento desse leite é a pasteurização, é nela que acontece a diminuição da carga microbiana do leite. 

O equipamento utilizado é programado pensando em um binômio: tempo e temperatura. Essa programação precisa estar correta. Ao utilizar um período a menos, ou uma temperatura abaixo do necessário pode fazer com que esse leite não seja processado corretamente e assim gerar perda no faturamento para empresa, uma vez que esse leite não estará apto para sair da indústria para o consumo.

Na mesma ideia de utilização dos equipamentos, vamos para o próximo erro:

- Funcionários sem treinamento

É indispensável que todos os funcionários que operem máquinas sejam treinados constantemente para a utilização desses equipamentos.

Qualquer erro que a máquina apresente esse funcionário deve estar atento, mesmo que não seja ele o responsável para resolver o problema, ele deve entender que a máquina não está na sua operação normal, e assim, passar para o encarregado para ajustes.

Neste mesmo tópico podemos falar sobre a utilização de EPIs. Muitos acidentes graves em indústria podem ser evitados pela utilização de equipamentos de proteção individual corretos. 

Todos os trabalhadores devem estar seguros para trabalhar.

Baixe aqui: Ebook - Gestão da Qualidade na Prática   

- Não cumprimento das Boas Práticas de Fabricação 

A implementação das BPFs é o início de um bom processamento com diminuição dos riscos operacionais.

As Boas Práticas são diretrizes de um ambiente seguro para processamento de alimentos, começando desde a higiene dos colaboradores e limpeza do local e equipamentos. Isso vai fazer com que erros operacionais diminuam. As práticas abordam:

  • Higienização das instalações, equipamentos, móveis e utensílios. 
  • Controle da potabilidade da água.  
  • Higiene e saúde dos manipuladores.  
  • Manejo dos resíduos. 
  • Manutenção preventiva e calibração de equipamentos.
  • Controle integrado de vetores e pragas urbanas. 
  • Seleção das matérias-primas, ingredientes e embalagens. 
  • Programa de recolhimento de alimentos. 

Com a implementação das BPFs, erros como ter um perigo físico no produto, como brincos, colares, grampos de cabelo, ou até mesmo goma de mascar diminuem.

Já temos um conteúdo aqui no nosso blog que descomplica as Boas Práticas de Fabricação para você. Confira!

- Falta de comunicação entre a equipe

A falta de comunicação entre colaboradores e setores pode ser crítica na hora do processamento de alimentos. Saber se o equipamento já foi limpo, se está calibrado.

Mas por isso que não se deve contar apenas com a memória dos colaboradores. Dentro de uma indústria de alimentos deve-se anotar todos os processos realizados em documentos como POPs (Procedimento Operacional Padrão) e checklists. 

Isso vai garantir que o processo foi realizado de maneira correta, sem pular etapas, e que realmente foi feito. Assim, qualquer um que visualizar esses documentos saberá o que aconteceu naquela área.

Agora que já cometemos alguns erros operacionais, vamos ver uma ferramenta que quando aplicada, auxilia na visualização de todo o fluxograma de processamento do seu produto, e onde ficam os pontos críticos de controle dele, onde a atenção tem que ser redobrada. 

 

Como evitar os riscos operacionais:

- Aplicando o plano de Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle (APPCC)

Com a utilização do método APPCC você vai conseguir visualizar na sua empresa onde estão localizados os Pontos Críticos de Controle que devem ter uma atenção maior para evitar riscos de contaminação, mas o APPCC pode também ser utilizado pela ótica de evitar erros operacionais, uma vez que no plano estará descrito os possíveis erros que aquela etapa pode ter para todo o processamento.

Também já falamos sobre plano APPCC aqui no blog, confira:

Leia: HACCP: 7 passos para a sua empresa obter a declaração de conformidade

 

- Checklists

Com a implementação de checklists você conseguirá diminuir todos os erros acima citados. 

Checklists são feitos para que etapas não sejam puladas e para que o histórico das atividades realizadas fiquem organizados e registrados.

Com a utilização dessa ferramenta você terá o histórico de calibração de equipamentos, poderá ter todas as etapas das BPFs realizadas, a falta de comunicação vai diminuir, e ainda você pode transformar o plano APPCC em um checklist.

Lembre-se, o risco nunca é zero, por isso, planeje e organize-se.

As soluções aqui mencionadas podem ser ainda mais eficientes quando automatizadas. Os checklists, POPs, BPFs e até mesmo o plano APPCC podem ser automatizados com ferramentas adequadas para a cadeia agroalimentar.

Aqui na PariPassu, nós podemos te ajudar com a ferramenta CLICQ - checklist automatizado para gestão de processos de qualidade.

Confira um pouco sobre a ferramenta neste vídeo de um minuto:



Quer implementar checklist, POPs e o Plano APPCC na sua indústria e diminuir os riscos operacionais? Fale com um de nossos especialista pra saber como podemos te ajudar, é só preencher o formulário abaixo:

 

Espero que você consiga colocar em prática as dicas deste post. Até breve :