Você já notou como rastreabilidade de alimentos é importante?

Você aplica a rastreabilidade de alimentos? Porque você aplica a rastreabilidade? Como aplicar e otimizar esse processo? Porque a rastreabilidade é importante? NesTe blogpost irei trazer todas essas respostas e algumas dicas que vão fazer com que sua empresa seja um destaque em rastreabilidade.

A rastreabilidade de alimentos é um assunto que está em alta, pois não estamos falando apenas dos consumidores finais que estão mais exigentes e com maior acesso às informações, mas também de quem trabalha na cadeia produtiva de alimentos.

É um fato: a rastreabilidade no setor de alimentos tornou-se uma prioridade para todos, do produtor ao consumidor.

Afinal, a importância da segurança do alimento é indiscutível para a saúde vital do ser humano. Por isso, hoje resolvemos falar um pouco sobre rastreabilidade de alimentos. Confira!

Está sem tempo para ler? Relaxa, disponibilizamos este player para que você entenda a importância da rastreabilidade.

 

Afinal, o que é rastreabilidade de alimentos?

Resumidamente, a rastreabilidade de alimentos é um conjunto de processos e ações que permitem o registro organizado das movimentações de produtos alimentícios em todos os estágios da cadeia de alimentos, desde o produtor, até o processamento, armazenamento e a distribuição.

A rastreabilidade para o hortifruti viabiliza o controle de qualidade dos vegetais com relação aos resíduos de agrotóxicos e facilita o processo de recall em casos de produtos com resíduos acima do limite permitido pela legislação.

trajeto da produção

 

 

 

 

 

 

Por que a rastreabilidade de alimentos é importante?

Os consumidores querem saber como os alimentos são produzidos, de onde vêm e a qualidade da matéria-prima. Esses mesmos consumidores também possuem amplas perguntas sobre sustentabilidade e muitos deles buscam marcas alinhadas com seus valores sociais mais amplos.

É fundamental proporcionar transparência e segurança aos consumidores, oferecendo produtos mais saudáveis, com maior qualidade e melhores características nutricionais.

A rastreabilidade de alimentos permite rastrear todas as etapas que um alimento passou: desde sua origem até chegar ao consumidor final. É uma prática essencial para controlar os riscos que podem afetar a cadeia de suprimento de alimentos.

Mas muito além do que atender as necessidades do consumidor final, a rastreabilidade de alimentos é importante para todos os responsáveis pela cadeia produtiva.

Isso mesmo! Com um sistema de rastreamento é possível manter a segurança dos alimentos em todas as etapas da cadeia de produção e distribuição.

Como a rastreabilidade pode manter a segurança dos alimentos?

Por exemplo, caso um lote do alimento vier com alguma não-conformidade, a rastreabilidade poderá localizar mais rápido a fonte do problema, além de fornecer dados que permitem estratégias de prevenção e a busca por soluções, garantindo a qualidade do produto na cadeia produtiva. Importante reforçar que estes são também os primeiros passos para quem busca certificações no ramo.

Quer outro exemplo? Caso receba um lote de maçãs fora do padrão desejado, com podridão acima do limite permitido, por exemplo, em seu restaurante, quem é o responsável? Quem as transportou, quem as armazenou, quem as cultivou, quem as manuseou… O sistema de rastreabilidade deve ter as informações para responder essas e muitas outras perguntas.

Além disso, a rastreabilidade de alimentos também permite gerenciar e monitorar as datas de vencimento dos produtos com maior eficiência, o que permite uma melhor gestão de estoques e também reduz a possibilidade de comercialização de produtos fora do prazo de qualidade. Também fica mais simples utilizar técnicas como FIFO (first in first out) - do português, primeiro a entrar, primeiro a sair - e inspeção de qualidade de produtos quando se utilizam procedimentos de rastreabilidade.

Todas essas melhorias resultam em relações mais transparentes, com um produto de melhor qualidade que entrega maior valor para o consumidor final que exige do segmento varejista um alimento melhor, mais fresco e seguro.

 

Os principais benefícios da rastreabilidade de alimentos

 

  • Prevenir, ao invés de reagir;
  • Monitoramento de resíduos de agrotóxicos;
  • Custos operacionais reduzidos;
  • Redução de perdas;
  • Tomar decisões de gestão baseadas em dados;
  • Acompanhamento de dados em tempo real;
  • Confiabilidade;
  • Gerenciamento de estoque.

Rastrear alimentos é obrigatório por lei?

Sim! A INC 02/2018, fiscalizada pelo MAPA e ANVISA, estabelece que é necessário adotar a rastreabilidade para todos os elos da cadeia produtiva de alimentos, constituída por produtores, distribuidores, indústria de alimentos e supermercados. Para o caso específico de produtores, a normativa também determina o arquivamento dos registros por no mínimo 18 meses.

Ou seja, a legislação reflete a tendência que o mercado de Frutas, Legumes e Verduras (FLV) tem seguido nos últimos anos: melhorar a qualidade dos processos de gestão agrícola.

Entenda de uma vez por todas a INC 02/2018, fale com um de nossos especialistas:

 

 
Promova a comunicação interna!

Em muitos supermercados, o padrão de qualidade de entrega esperado entre os setores de compra, recebimento e operação nas lojas são diferentes. Por isso é fundamental um documento padrão ou a ficha técnica.

A ficha técnica é um documento realizado na empresa com os parâmetros e especificações aceitáveis de defeitos de cada produto ou alimento. Melhora o controle de qualidade do alimento, facilita a comunicação interna, com mais segurança e agilidade nos processos.

Também, é importante incluir nas fichas técnicas as informações sobre a sazonalidade dos produtos, para facilitar o reconhecimento de padrões à equipe, que realiza as inspeções de recebimento e o Controle de Qualidade dos Alimentos vegetais.

Lembre-se! Se um produto no estoque, estiver fora dos padrões determinados. Com a ficha técnica é possível identificar cada produto que foi entregue na loja, e recebido de acordo com os parâmetros ou não.

As informações estabelecidas nas fichas técnicas, devem ser padronizadas e divulgadas amplamente, entre os setores de compra, recebimento e operação dentro das lojas. Assim, identificaram as falhas rapidamente!

 

Acompanhe seus fornecedores.

É importante comunicar os parâmetros de qualidade à equipe do supermercado, e também informar os fornecedores. Pois, a reprovação de uma carga que chega no seu estoque, ou central de distribuição. Traz inúmeros transtornos e prejuízos ao varejo e ao fornecedor.

Uma divulgação clara dos parâmetros de qualidade esperados pelo supermercado reduz o número de devoluções, ou seja, o recall. O envio de um relatório com fotos, os resultados detalhados da inspeção e os motivos da reprovação de uma carga, como o modelo abaixo.

É fundamental, para facilitar o entendimento destes parâmetros pelos fornecedores, colaborando para que eles cumpram o seu padrão de qualidade.

 

relatório-clicq
As informações completas como na imagem acima, serão um guia para o o fornecedor redobrar a atenção e o cuidado ao montar uma carga que será enviada para a loja.

 

 

Invista em Rastreabilidade.

Implantar a rastreabilidade dentro do supermercado, vai além do atendimento à Instrução Normativa 02/2018. Ter um código de rastreabilidade único, possibilita identificar cada produto, promove a organização dos produtos dentro do estoque e facilitará a classificação dos seus fornecedores.

Pois, no caso de devoluções, através do código consultado é possível identificar rapidamente a origem produtiva, ou seja, o fornecedor. As informações de rastreabilidade, permitem classificar a qualidade dos produtos ou fornecedores a cada entrega.

No gráfico abaixo, podemos ver um ranking com o percentual de defeitos total por fornecedor.

ranking-de-fornecedores

 

Neste exemplo, fica claro que o Fornecedor 1 entrega um alto percentual de produtos com defeitos graves e críticos. Pois o percentual total de defeitos nos produtos entregues é maior, quando comparado aos demais.

Indicadores como esses, aliados a um painel colaborativo com informações com um histórico detalhado sobre a conformidade de cada produto, permitem que o time de compras conheça melhor os fornecedores.

Assim, é possível analisar quais são os níveis de qualidade já são atendidos, além de ter em mãos informações úteis para a negociação de preços, por exemplo.

 

Preocupe-se com a Prevenção de Riscos.

Conheça o seu fornecedor e busque garantir que ele tenha a capacitação necessária, para atender a sua demanda. Incentive que os seus fornecedores estejam de acordo com as normativas e legislações do setor, buscando a melhoria contínua e aperfeiçoamento.

As notícias sobre supermercados penalizados por comercializar produtos com o limite de resíduos de agrotóxicos, fora dos padrões determinados por lei, comprovam como a falta de uma prevenção de riscos impacta diretamente o faturamento de um supermercado

Por isso, o acompanhamento próximo dos fornecedores por meio de auditorias, por exemplo, pode prevenir este tipo de medida. Aposte em desenvolver a cadeia de fornecedores, incentive-o a manter o alto padrão no o Controle de Qualidade de alimentos em todos os processos da cadeia produtiva.

 

Exponha de maneira certa.

Um controle de qualidade de alimentos com alto padrão de excelência, além de garantir a padronização da inspeção e identificar inconformidades é também um propulsor de vendas.

Os Estudos apontam que 50% dos consumidores satisfeitos com a qualidade da oferta de frutas, legumes e verduras frescas, comprarão com mais frequência e gastarão mais a cada visita nas lojas, além de indicar para outros consumidores.

Mas, é muito importante alertar o consumidor referente ao período de sazonalidade dos alimentos. Assim, evita a sua frustação ao não encontrar no supermercado as frutas, legumes e verduras desejados.

As informações sobre a sazonalidade devem estar juntos aos dados de rastreabilidade (geolocalização das origens do produto). Assim, o consumidor consegue identificar, com mais agilidade quais são os produtos mais frescos expostos nas gôndolas, facilitando suas compras.

Pois, as redes que já apostam neste tipo de campanha para promover a comunicação e transparência com o consumidor, percebem uma melhora na imagem da marca por parte dos clientes.

Sabemos que manter um alto padrão de qualidade nos produtos perecíveis não é tarefa fácil. Por isso, parametrizar os níveis de qualidade e saber quais são os pontos críticos neste processo, contribuem para o Controle de Qualidade de alimentos mais seguro e eficiente!

 

E agora? Você se deu conta de como a rastreabilidade de alimentos é importante?

O processo de rastreabilidade também deve ser realizado com base em um POP (Procedimento Operacional Padrão) para reduzir as chances de falhas. Se você não possui um POP de Rastreabilidade de Alimentos ou quer melhorar este processo, acesse o nosso modelo e faça as alterações de acordo com a realidade desse procedimento na sua empresa.

 

Confira outros textos sobre o assunto

Nós, da PariPassu, sabemos que você adora conteúdos de qualidade, por isso separamos alguns conteúdos que você vai gostar e criamos a Academia PariPassu com cursos que vão te preparar para dominar o mercado.

Julia Paripassu