3 passos para reduzir perdas no varejo com automação do controle de qualidade

Que tal ouvir este post na íntegra? Clique no player abaixo e ouça ele completo:

R$ 6,4 bilhões. Esse número parece alto, não é mesmo? Segundo a 18ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro de Supermercados, esse é o valor em reais de perdas do setor mercadista no ano de 2017.

A figura abaixo mostra que a maioria das perdas estão relacionadas a fatores organizacionais. Já falamos aqui sobre os impactos e as possíveis causas das perdas e, olhando para esse resultado, é fácil enxergar a oportunidade de aumentar os lucros do setor investindo de forma estratégica na prevenção e controle de perdas.

Reduzir perdas no varejo

Fonte da imagem: SEBRAE-SP, 2015.

E é exatamente isso o que tem acontecido! A redução de perdas no varejo passa a ser uma prioridade da diretoria – e não apenas do setor de controle de qualidade – que passa a enxergar a redução de perdas no varejo como uma forma de aumentar o faturamento da empresa e melhorar os resultados. Para isso, investem em tecnologias que tragam maior eficiência para controle de qualidade em supermercados.

A PariPassu acompanha mais de 500 lojas no processo de prevenção e controle de perdas e, com base nas melhores práticas adotadas e nos resultados alcançados, listamos os 3 passos principais para reduzir as perdas no varejo de forma significativa através da automação do controle de qualidade.

1° Passo – DIAGNÓSTICO

O mercado estimula a busca por melhorias contínuas nos processos e, antes de iniciar qualquer mudança, é importante ter clareza sobre duas coisas: qual o cenário atual e onde queremos chegar.

Por isso, um diagnóstico para detectar as oportunidades de melhoria e estabelecer um plano de ação que traga resultados a curto prazo é fundamental. Além disso, é necessário contar com ferramentas que tornem o controle de qualidade mais eficiente e, por sua vez, apoiem e viabilizem a execução deste plano de ação.   

O diagnóstico é a fase em que os processos já existentes devem ser mapeados possibilitando a listagem dos pontos críticos a serem trabalhados. Durante esta etapa, é necessário fazer e responder perguntas como:

Reduzir perdas no varejo

Neste momento, contar com dados numéricos reais facilita o processo. Quanto menor for o espaço para suposições, melhor será o resultado.

Estruturar um processo de prevenção e controle de perdas, junto com o controle de qualidade em supermercados, requer mudança de cultura e engajamento de todos, portanto, ter uma visão clara e profunda do negócio, possibilita que a tomada de decisão seja mais fácil e segura.

2º Passo – IMPLANTAÇÃO

Agora que os pontos críticos de melhoria já foram mapeados é hora de pôr a mão na massa. Aqui na PariPassu, sempre que acompanhamos a implantação do controle de qualidade em supermercados, observamos a divisão nas seguintes etapas:

  • Definição do responsável: Mudar a rotina é sempre um desafio, por isso, é muito importante ter uma pessoa responsável por dar os primeiros passos, engajar o time e definir as tarefas. O Sponser (responsável) é a pessoa que garante que os resultados esperados estão sendo alcançados, exercendo a tarefa de acompanhar os indicadores e procedimentos determinados, constantemente.
  • Escolha do sistema para acompanhamento de atividades: Os supermercadistas sabem da importância do monitoramento e controle das atividades no dia a dia, mas, algumas empresas ainda utilizam papéis e planilhas para coletar, organizar e acompanhar esses dados. Um sistema automatizado, traz para o varejo eficiência na coleta de dados e permite focar esforços nas análises, com de indicadores em tempo real e ações para minimizar os riscos de perdas, através dos históricos de dados gerados a partir das coletas de dados realizadas, por exemplo.

Se as planilhas e pranchetas não estão dando certo, porque não inovar? Invista em um sistema que permita mensurar e avaliar os resultados de forma mais ágil e eficaz.

Reduzir perdas no varejo

Você já conhece o CLICQ? Nele você encontra padrões de check-lists para diferentes setores de um supermercado que te ajudam a diagnosticar quais precisam de melhorias.

  • Treinamento e capacitação da equipe: Para que haja sucesso na automação do controle de qualidade, além do engajamento, é necessário treinamento e capacitação da equipe, diminuindo ao máximo a subjetividade das avaliações.

3º Passo – GESTÃO E MANUTENÇÃO

Manter as ações de prevenção e controle de perdas, requer monitoramentos para que os processos sejam constantemente aperfeiçoados. O estoque, troca de mercadorias, devoluções, abastecimento, acompanhamento e controle da validade dos produtos e processos operacionais devem ser acompanhados de perto.

Ter indicadores que são atualizados em tempo real, faz com que o supermercado conheça as necessidades de cada loja e garanta a agilidade na sua operação. Sabendo que o açougue possui um número maior de inconformidades do que a padaria, a atenção alocada a este setor deve ser maior, certo? Isso é o que chamamos de ação direcionada e quem mostrará a direção desta ação são os indicadores.

O indicador abaixo, mostra o resultado das avaliações realizadas em diferentes lojas e ajuda a definir os pontos de atenção em cada uma delas. Com este tipo de informação,  o auditor que visita a loja X saberá que precisa direcionar seu trabalho no setor Y.

Reduzir perdas no varejo

Este tipo de informação permite, inclusive, premiar os setores com maiores níveis de conformidades e incentivar que eles colaborem com a automação do controle de qualidade no supermercado.

Além disso, você saberia dizer qual fornecedor tem o melhor desempenho nas entregas que realiza? Imagine se no momento do recebimento de mercadorias não são realizados os controles e inspeções necessárias para aprovação e liberação de produtos, as chances de rupturas por falta ou falha na inspeção e controle de fornecedores podem ocasionar perdas ainda maiores.

A figura abaixo mostra a gestão de fornecedores a partir do grau dos defeitos encontrados nas inspeções de recebimento.

Reduzir perdas no varejo

A partir desse dado, é possível definir quais os melhores fornecedores quanto a qualidade do produto e utilizar esses números nas negociações de compra e permanência da entrega à rede.

Quer saber mais sobre as vantagens da gestão de fornecedores e por onde começar? Detalhamos tudo nesse post!

Outra etapa importante da gestão e manutenção do controle de qualidade em supermercados, é o acompanhamento das não conformidades (NC) e planos de ação (PDA). Um exemplo da importância do registro em tempo real – para trazer agilidade no dia a dia da sua equipe e evitar retrabalho é a imagem a seguir, que informa o número de não conformidades em cada loja, vinculado ao responsável e ao prazo para preencher o plano de ação.

Reduzir perdas no varejo

Todo supermercado tem perdas, porém elas tendem a crescer quando não se sabe a sua origem e, consequentemente, quais ações podem ser tomadas para reduzi-las e administrá-las. As perdas causadas no varejo reduzem o faturamento da empresa. Não controlar e acompanhar o desempenho de cada loja, desde o recebimento até a exposição na gôndola interfere diretamente no crescimento da rede.

Você conhece e consegue comparar o desempenho da(s) loja(s), sabe quais os pontos de melhoria e toma ações eficientes para evitar rupturas e prejuízos?

Fale com nossos especialistas para saber como implementar o processo de prevenção e controle de perdas na sua empresa e se juntar a mais de 80 redes de varejos que estão melhorando os seus resultados.

Reduzir perdas no varejo


Deixe o seu comentário

Artigos Relacionados

  • PariPassu

    Como melhorar a gestão da qualidade do seu restaurante?

    continue lendo
  • PariPassu

    INDEX PariPassu – índice de qualificação dos fornecedores de hortifrúti

    continue lendo