HACCP: 7 passos simples para a sua empresa obter a declaração de conformidade

Se não puder ler neste momento, experimente ouvir este post e aprender 7 passos simples para obter a declaração de conformidade HACCP. Basta clicar no player abaixo!

A declaração de conformidade HACCP (Hazard Analysis & Critical Control Points), em português Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle, apoia-se no controle de qualidade baseado em uma análise ordenada para identificar, analisar e controlar os perigos associados à produção, distribuição e consumo de alimentos.

HACCPFunciona de maneira bastante simples baseando-se em 3 diretrizes principais: analisar os perigos e avaliar os riscos, determinar os pontos críticos a serem controlados e fazer o monitoramento.

Esta sistemática, para o mercado de alimentos, garante ao consumidor a entrega de um alimento seguro, que não apresente risco à saúde ou dúvidas em relação à sua composição e peso.

A HACCP busca a prevenção de possíveis danos à saúde e problemas associados à produção e como controlá-los, ao invés de focar em testes realizados no produto final.

Antes de listar os 7 passos para ajudar você neste processo, preparamos um vídeo que resume rapidamente como a sua empresa pode acompanhar os check lists da declaração de conformidade HACCP:

Algumas das maiores dificuldades encontradas pelas indústrias do mercado de alimentos para obtenção da declaração de conformidade HACCP são: insuficiente suporte técnico e informações, concentração de funções, disponibilidade financeira e de tempo para implementação.

Neste momento você deve estar se perguntando: quais são os pré-requisitos para a HACCP?

A segurança do alimento é uma responsabilidade compartilhada por todos os elos da cadeia agroalimentar. Duas ferramentas básicas garantem a obtenção de produtos seguros para o consumo: Boas Práticas Agrícolas (BPA) e Boas Práticas de Fabricação (BPF).

As Boas Práticas Agrícolas se aplicam na produção primária e englobam a seleção da área de produção e como é utilizada, controle de contaminantes e pragas e enfermidades de animais e plantas.

As Boas Práticas de Fabricação, por sua vez, são baseadas no Codex Alimentarius e compreendem um conjunto de medidas, com o objetivo de garantir a segurança do produto sob o ponto de vista das condições de higiene, que devem ser aplicadas em toda a cadeia produtiva.

Lembre-se: a estruturação da sua HACCP deve ser realizada por profissionais especializados no controle de qualidade dos alimentos de acordo com as exigências da legislação.

Se a sua preocupação é compreender os passos iniciais para obter a declaração de conformidade, fique ligado! Existem 7 principais passos para a sua empresa realizar e acompanhar seus critérios com o apoio do aplicativo CLICQ (Check List Inspeção e Controle de Qualidade):

1. Formação da Equipe e Descrição do Produto

HACCPÉ importante que seja definida uma equipe multidisciplinar, formada por pessoas treinadas e familiarizadas com os processos de produção e o produto.

O produto a ser credenciado deve ser detalhadamente descrito em manuais, exemplo, em Fichas Técnicas com informações de padronização referentes à sua composição, tipo de embalagem, transporte utilizado para distribuição  e condições de armazenamento de vida útil.

O app CLICQ disponibiliza questionários de inspeção de qualidade de Produto tornando rápido o registro e o monitoramento das informações, sem necessidade de papel e caneta para a coleta do dados e a digitalização dos dados, 

2. Analisar Perigos e Avaliar Riscos

Este é o primeiro passo para implantação e sucesso da HACCP na sua empresa. Fazendo seis perguntas simples que ajudam a entender melhor os perigos e pontos críticos que devem ser controlados, você garante a segurança do alimento. Não é nada complicado:

1. O produto direcionado à população é de alto risco?

2. O produto contém ingredientes sensíveis?

3. Há uma etapa no processo que destrói os microorganismos patógenos?

4. Há possibilidade de recontaminação do produto após a etapa de eliminação dos patógenos?

5. Há possibilidade de o produto estragar durante a distribuição e o consumo?

6. Há tratamento térmico final?

Feitas estas perguntas, pensando em sua severidade e probabilidade de ocorrência, já está estabelecida uma direção que aponta os primeiros processos a serem estudados para que as indústrias e o mercado de alimentos alinhem-se a esta metodologia.

3.  Determinar os Pontos Críticos

O objetivo aqui é garantir a qualidade dos processos relativos à produção, manipulação, transporte, distribuição e consumo dos alimentos. É importante que a observação destes processos cubra todos os possíveis elementos que possam comprometer a segurança do alimento.

A automação das inspeções de qualidade, associadas ao controle de qualidade dos alimentos produzidos,  permite a segurança e agilidade no apontamentos das informações.

4. Determinar Limites para os Pontos Críticos de Controle (PCCs)

Determinados os limites – como quantidade máxima de microorganismos e temperatura em câmaras frias – para assegurar que a operação está sob controle, é necessário organizar e implementar sistemas de monitoramento. São os PCCs que distinguem os produtos aceitáveis dos inaceitáveis.

HACCP

Cada parâmetro estabelecido deve ter seu limite crítico para que se possa ver de forma clara as medidas de controle dos Pontos Críticos.

A definição destes limites deve estar apoiada em fontes como legislação, literatura científica e dados de pesquisas reconhecidas.

O CLICQ apresenta alertas na aplicação dos questionários, por exemplo, quais os limites e se estão sendo ultrapassados, podendo fornecer esta informação também em relatórios no formato PDF. 

5. Estabelecer Ações Corretivas e Procedimento de Verificação

Ações corretivas devem ser definidas para os Pontos Críticos de Controle identificados através da sistemática HACCP. É importante determinar ações, o que deve ser feito com os produtos finalizados enquanto os PCCs estavam fora de seus limites, e fazer uma pesquisa para entender as causas deste limite ter sido ultrapassado.

Através da geração de planos de ação personalizados para cada PCC fora de limite, o CLICQ permite a tomada de ações rápidas, além de enviar estes planos automaticamente para o responsável pela ação corretiva.

6. Procedimentos de Verificação

Métodos de verificação de qualidade, como auditorias, inspeções, procedimentos e testes podem ser bases para testar se os critérios da sistemática HACCP estão sendo cumpridos adequadamente.

Auditorias regulares e não planejadas trazem análises sistemáticas que garantem sua adequação à HACCP.

O app CLICQ, além de disponibilizar check lists padrões desta metodologia e de outras certificações, demonstra visualmente o desempenho, facilitando a análise do gestor responsável.

HACCP

7. Manter Registros e Monitorar PCCs

Todos os procedimentos do sistema para a declaração de conformidade HACCP devem ser documentados. Da mesma forma, suas inspeções, auditorias, ações corretivas e atividades de monitoramento devem ser registrados.

A automação da coleta de dados com o CLICQ garante que todos esses registros estejam armazenados digitalmente, trazendo agilidade na busca e acesso às informações.

Além de auxiliar você a atender os requisitos da HACCP, as informações armazenadas e registradas no CLICQ lhe trazem outro benefício muito importante: a transformação destes dados em indicadores em um panorama de acompanhamento.

Este panorama apresenta indicadores relativos às auditorias, inspeções de qualidade, ações corretivas de maneira simples, prática e customizável.

HACCP

Além de colaborar com cada passo para a declaração de conformidade HACCP em sua empresa, o CLICQ torna-se um companheiro da gestão do seu negócio apoiando a tomada de decisão nos pontos críticos que precisam de atenção.

Quer entender a forma correta para a estruturação da HACCP na sua empresa? Fale com um de nossos especialistas.

+ eBooks, Guias, Cases

Clique aqui e baixe grátis diversos conteúdos sobre rastreabilidade, qualidade e segurança de alimentos.

Deixe o seu comentário

Artigos Relacionados

  • PariPassu

    Preciso implementar a HACCP: e agora?!

    continue lendo
  • PariPassu

    Descomplicando as Boas Práticas de Fabricação – BPF

    continue lendo