Como a tecnologia no agronegócio otimiza o dia a dia de produtores

A inovação tem um papel decisivo na expansão e evolução de diversos mercados. Na cadeia produtiva agroalimentar não é diferente! A tecnologia no agronegócio permitiu que o setor crescesse, em média, 3,22% ao ano, de acordo com o livro “Uma Jornada Pelos Contrastes do Brasil: Cem anos do Censo Agropecuário”.

E a modernização nos campos tem um protagonismo nesse crescimento, já que o Valor Bruto de Produção agropecuário dobrou entre os anos de 1995 e 2017 e as tecnologias tiveram uma participação de 60% deste desenvolvimento.

Mas afinal, o que são as tecnologias no agronegócio? Nesta publicação, abordaremos o que faz parte dessa vanguarda de inovação tecnológica e que elas estão mais próximas da sua realidade do que você imagina.

Esg

A importância da tecnologia no agronegócio

As inovações no campo vêm com o intuito de mudar a perspectiva de que a grande capacidade de produção, alta qualidade, sustentabilidade e facilidade nos processos produtivos são coisas de grandes produtores ou exclusivo de indústrias.

Essa já não é a nossa realidade há muito tempo. Afinal, é por conta da tecnologia no agronegócio que o Brasil se tornou o terceiro maior produtor de alimentos do mundo, ficando atrás somente da China e dos Estados Unidos.

Essa posição não poderia ser diferente, já que, de acordo com a Comissão Brasileira de Agricultura de Precisão (CBAP), 67% dos empreendimentos agrícolas já contam com algum tipo de tecnologia para auxílio no dia a dia.

Se pararmos para refletir, esse número é espantoso, pois há alguns anos dificilmente eram vistos computadores nas propriedades agrícolas do país. Mas precisamos ter em mente que 33% dos produtores ainda não fazem parte desse processo de modernização. Isso é um fato extremamente limitante para os produtores rurais, pois suprime as opções para fazer uma boa gestão e controle de produção, condução de safra e demais processos.

É aí onde o perigo mora! Todo profissional que precisa lidar com a produção rural sabe que o planejamento é um dos pilares para uma boa condução da safra, certo? Então vamos ao exemplo: não contar com a tecnologia para o planejamento de uma safra, é contar somente com a memória e anotações em papel. Isso é muito arriscado, pois são dados sensíveis (e extremamente importantes, diga-se de passagem) que estão sujeitos a degradação do tempo, intempéries da natureza e afins.

É aí que entra a profissionalização e modernização do setor, apoiado com o auxílio das tecnologias emergentes. Um grande contribuinte para este cenário de desenvolvimento são as startups que chegam com propostas inovadoras para democratizar as oportunidades do setor.

Startups ou Agrotechs

De acordo com um estudo da ABStartups, existem em média 300 startups/agrotechs* voltadas para facilitar o dia a dia do agronegócio. Além disso, outro estudo indica que 47% dessas empresas receberam investimentos externos, o que resulta em quase 27% a mais do que a média dos demais setores. 

*Startups são empresas em estágios iniciais de atuação voltadas para solucionar problemas por meio de alternativas inovadoras. As startups voltadas para o agronegócio são chamadas de Agrotechs.

Novas empresas desse modelo não param de surgir. Mas não poderia ser diferente, afinal, a oportunidade para o desenvolvimento dessas empresas é muito promissora, já que o setor agroalimentar também está em plena expansão.

Para se ter noção, em 2019 a soma de bens e serviços gerados pelo agronegócio ultrapassou a marca de R$1 trilhão de reais, isso corresponde a mais de 21% do PIB do Brasil. Por conta disso, as chances de sucesso entre essas empresas são altas e acaba se tornando uma relação “ganha-ganha”, já que há mercado para o crescimento das startups e são elas que fornecem as soluções inovadoras para a cadeia produtiva agroalimentar.

Diante disso, são diversas novidades no setor que não param de surgir, desde soluções para o campo como drones, até softwares para gestão, por exemplo.

Entre as soluções das agrotechs conhecidas estão:

Com o crescimento das startups no país, é considerado que o Brasil contribua cada vez mais com a demanda de alimentos mundial. De acordo com a FAO, a expectativa é que o Brasil seja responsável por, pelo menos, 40% dessa demanda!

Para o setor, isso é um cenário extremamente animador, afinal o país tem um clima favorável, terras abundantes, e agora, tecnologias emergentes para processos produtivos mais sustentáveis e econômicos.

Agora que já sabemos dos benefícios da tecnologia no agronegócio, vamos conhecer as tecnologias que estão em alta e oferecem esses benefícios para o setor.

Quais são as tecnologias emergentes no agronegócio?

Um dos grandes desafios dos produtores e demais elos da cadeia produtiva de alimentos estão relacionados à produção e gestão de indicadores. Não é à toa que as tecnologias que estão tendo uma maior capilaridade no setor são inovações relacionadas a esses problemas.

Mas além disso, o setor ainda conta com um desafio extra: o receio de utilizar máquinas e tecnologias e substituir o trabalho humano.

Acontece que o objetivo principal da tecnologia no agronegócio é agregar, ao invés de substituir. Somar forças do trabalho humano com a capacidade cognitiva de ferramentas tecnológicas. Diante disso, se torna uma espécie de simbiose entre máquinas e pessoas, onde os softwares e demais ferramentas apontam os caminhos disponíveis, facilitando a tomada de decisões dos profissionais.

Para exemplificar e tornar esses conceitos mais palpáveis, trouxemos uma lista com as inovações mais presentes em todos os elos da cadeia produtiva agroalimentar.

Big Data

A utilização de Big Data está presente em praticamente todos os setores e o agronegócio não seria diferente. Mas afinal, o que é “Big Data”?

Esse termo é utilizado para nomear a coleta e utilização de grandes quantidades de dados na tomada de decisões. Mas não adianta somente ter em mãos estes dados e não saber interpretá-los! É aí onde entram softwares que compilam estes indicadores e oferecem gráficos para facilitar a leitura e tomar decisões mais certeiras.

Com ferramentas próprias para essa gestão de métricas, é possível:

  • Aumentar a produtividade; 
  • Reduzir custos/desperdícios;
  • Ter embasamento concreto e certeiro para direcionar as estratégias;
  • Melhorar a sustentabilidade do seu negócio;
  • E muito mais!

Um exemplo bastante prático é a análise de dados meteorológicos. Utilizando uma ferramenta adequada e captando os dados corretos, é possível administrar as etapas do plantio e colheita, por exemplo.

A utilização de dados sempre foi presente durante o dia a dia dos produtores rurais, mas hoje, é possível utilizá-los de forma mais prática e inteligente.

Drones e Agricultura de Precisão

Esses são dois grandes revolucionários que estão ganhando cada vez mais o mercado. Isso se deve porque agrega uma maior rentabilidade aos produtores, já que é por meio deles que é possível mapear e monitorar as áreas de cultivo de forma ágil.

Assim como a Big Data, a agricultura de precisão auxilia na tomada de decisões.

A Agricultura de Precisão é feita por meio de sensores e/ou drones que conseguem captar informações em tempo real e podem ser vistas de qualquer lugar, por meio de dispositivos móveis ou computadores.

Existem diversos tipos de sensores disponíveis no mercado como os sensores ópticos, eletroquímicos e de produtividade. São eles que irão fornecer as informações como propriedades do solo, nível de nutrientes, identificação de ervas daninhas e também, observar as regiões mais produtivas da fazenda.

Equipamentos Autônomos e Inteligência Artificial

Se pensássemos, há 10 anos, em maquinários guiados por GPS, controlados por celular de qualquer lugar do mundo, iria parecer coisa do futuro, né? Acontece que o futuro é agora e isso já é uma realidade.

Já existem tratores sendo desenvolvidos nos Estados Unidos que trabalham por 24h, sem a necessidade de um motorista e ainda conta com inteligência artificial.

Infelizmente essa máquina não está nos mercados porque a inovação é tão grande que nenhum país tem uma legislação específica para veículos terrestres não tripulados!

E aqui cabe uma informação relevante: o trator inteligente pode ser programado para sair da sua sede, ir até o talhão, fazer o seu trabalho e voltar sem causar nenhum acidente. Isso porque o maquinário conta com um sistema onde toma decisões, a fim de evitar potenciais desastres, contando com a inteligência artificial.

Aquilo que parecia muito distante de nós há 10 ou 5 anos, já é uma realidade, é preciso se adequar às inovações e abrir portas para as novas tecnologias.

Softwares e Automação de processos

Engana-se quem acha que o futuro está somente nas grandes máquinas do campo. As inovações também chegaram para facilitar a gestão financeira e de produção.

Sou produtor e já faço rastreabilidade. E agora Diversos softwares são disponibilizados para auxiliar as rotinas dos produtores, sejam eles grandes ou pequenos. Essas ferramentas acabaram se tornando indispensáveis pela praticidade, segurança e melhoria nos processos que oferecem.

Além disso, esses softwares também auxiliam a estar em conformidade com normativas e leis, por meio da rastreabilidade, por exemplo. Outro ponto que torna essencial a utilização dessas ferramentas é acompanhar com precisão os gastos com os insumos para a safra, tornando sua operação muito mais lucrativa.

 

E claro, o ponto mais importante: todos os seus dados e informações estarão seguros e disponíveis na nuvem. Não precisa se preocupar com esquecimento ou intempéries da natureza caso guarde tudo em planilhas, checklists ou cadernos de papel.

Guia Certificações Global G.A.P e Local G.A.P


Conclusão

Já está muito claro que a tecnologia é uma grande aliada nas rotinas do agronegócio. Com o mercado em larga expansão, startups começam a olhar para esse setor como oportunidade de crescimento, o que configura uma espécie de simbiose entre empresas. Afinal, as agrotechs desenvolvem tecnologias para que os elos da cadeia produtiva de alimentos possam crescer a todo vapor, enquanto isso, as próprias startups surfam nessa onda de desenvolvimento e progresso.

Apesar de existirem diversos tipos de tecnologias, é preciso entender quais realmente devem fazer parte da sua rotina. Visto que algumas destas inovações ainda não são tão acessíveis, como os equipamentos autônomos que utilizam a inteligência artificial, ao contrário dos softwares que tem valores muito mais acessíveis.

E você, já utiliza alguma destas tecnologias na sua propriedade? Conhece alguma outra inovação que não comentamos? Deixe nos comentários e faça parte da construção deste artigo!