Desafios nas Auditorias de Loja em Supermercados

Você pode ouvir este conteúdo na íntegra clicando no player abaixo!

O setor supermercadista encerrou o ano de 2018 com 2,07% de crescimento em relação a 2017, segundo a ABRAS (Associação Brasileira de Supermercados). Para que se alcance o crescimento esperado para 2019, o controle de qualidade em supermercados voltado à eficiência da gestão nas lojas será fundamental no seu desempenho.

Se você trabalha com controle de qualidade em supermercados, sabe que estabelecer esse controle é um desafio e que, na verdade, pode ser a chave para o sucesso de sua empresa. Este conceito é composto pelo controle da qualidade de produtos (cárneos ou hortifruti, por exemplo) que são entregues nos centros de distribuição (CDs) e nas lojas, bem como os controles dos processos nas operações realizadas no ponto de venda.

Um controle de qualidade de excelência, além de garantir a padronização da coleta e registro da informação, possibilita a identificação de inconformidades facilitando procedimentos de recall. Não dar a atenção apropriada a estes aspectos pode gerar uma redução no volume vendas e faturamento. Este post vai ajudar a desmistificar os principais desafios para uma gestão da qualidade durante a auditoria de loja. Vamos lá?

 

Padronização das inspeções


Dentro do supermercado a padronização dos processos e parâmetros de inspeção na auditoria de loja pode ser um enorme desafio. Em muitos casos, a mesma inspeção é realizada por diferentes colaboradores e isso pode impactar diretamente no seu resultado, uma vez que cada colaborador pode interpretar os critérios de forma diferente durante a auditoria.

Garantir que todos os colaboradores responsáveis pelas inspeções tenham clareza de quais critérios devem ser atendidos, a representatividade de cada um deles e qual é o padrão de conformidade ou inconformidade na auditoria de loja, trará uma uniformidade nos dados coletados.

Para apoiar esta padronização, algumas ferramentas como POPs (procedimento operacional padrão), relatórios com imagens e compartilhamento de relatórios de auditoria de loja com inspetores e gerentes, facilitam o reconhecimento da equipe aos padrões e critérios que devem ser avaliados.

Exemplo de relatório com imagem.


Com dados uniformes, os indicadores de comparativos – entre lojas ou setores – fornecem informações passíveis de serem analisadas. Assim é possível saber com exatidão qual destes merece maior atenção para a tomada de ações corretivas e manutenção do controle de qualidade alinhado.


Velocidade na correção de Não Conformidades


Quando detectada uma Não Conformidade dentro de um supermercado, é necessário que os procedimentos e ações (corretivas ou preventivas) sejam tomados de forma ágil. O impacto de um longo período de tempo entre a detecção da Não Conformidade e a tomada de ação para corrigi-la, pode repercutir diretamente no seu faturamento.

Por exemplo, se um inspetor de loja perceber que há uma câmara fria ou mural com temperatura fora dos padrões determinados, até que o responsável na loja seja notificado e tome as ações necessárias para corrigir o problema, existe grande probabilidade que os produtos armazenados sejam condenados.

Para prevenir este tipo de caso, é importante que o fluxo de informações seja ágil entre inspetores e responsáveis pelos Planos de Ação. Certifique-se que este responsável receberá informações sobre as não conformidades o mais rápido possível e, também, que o inspetor possa acompanhar a eficiência da ação tomada.


Agilidade na Auditoria de Loja com a Gestão de Dados


Embora grande parte dos supermercados já tenha estruturado um processo de auditoria de loja, existe uma dificuldade em acompanhar um histórico de não conformidade e intervenções realizadas dentro de um período de tempo.

Para ganhar eficiência no momento da inspeção e direcionar as ações aos pontos críticos em cada loja, é importante que se tenha clareza de quais são os aspectos, historicamente, forte ou fracos em cada loja. Veja o exemplo abaixo:

Recebimento: evolução da Nota de Inspeção do setor de recebimento de matérias primas de uma rede de varejos.

Açougue: Evolução da Nota de Inspeção do setor de açougue de uma rede de varejos.


No indicador acima, podemos acompanhar a evolução da nota de qualidade dos setores de Recebimento e Açougue em uma rede de supermercados. Com estes dados em mãos, o inspetor consegue concentrar seu trabalho na causa raiz que realmente precisa de atenção.

Por exemplo, quando ele estiver na Loja 2, saberá que deve investir mais tempo no setor de Recebimento – devido à um histórico de notas baixas nos últimos 2 meses – quando comparado ao Açougue – que possui um histórico de notas menos preocupante.


Quer saber como facilitar o registro e ter um um histórico detalhado da sua auditoria de loja?  Fale com um dos nossos especialistas.



Estruturar e implantar um processo para controle de qualidade para supermercados pode parecer complexo, porém não tê-lo impacta diretamente no faturamento e eficiência da loja.

Existem inúmeras soluções disponíveis para simplificar os desafios da auditoria de loja. Defina os objetivos do seu negócio, mapeie os principais obstáculos para chegar lá e qual a ferramenta adequada para superá-los.

Deixe o seu comentário

Artigos Relacionados

  • PariPassu

    Passo a Passo para o Recebimento e Armazenamento de Vegetais In Natura

    continue lendo
  • PariPassu

    Preciso implementar a HACCP: e agora?!

    continue lendo