fbpx

5 maiores erros na consultoria agrícola

Está sem tempo para ler? Sem problemas! Disponibilizamos um player para que você possa ouvir e ficar por dentro do assunto.

O trabalho do consultor é um constante desafio, é preciso solucionar problemas, estruturar projetos e manter-se atualizado sobre novos produtos e tecnologias. Para quem atua no setor de produção agrícola o desafio é ainda maior: devem ser levados em consideração fatores como cultura de cultivo, sazonalidade e região.

Grande parte dos profissionais que iniciam neste seguimento cometem erros que poderiam ser evitados caso fossem previamente orientados.

Você já teve dificuldade em replicar uma solução adotada em um produtor para outros projetos? Ou já teve algum cliente que não percebeu o valor do seu serviço?

Fique atento! Essas situações podem acontecer com você e demais consultores dessa área. Se você quer entender quais são os 5 erros mais comuns para quem está começando ou já atua nesse ramo, continue lendo esse post e saiba quais medidas devem ser adotadas para que não aconteçam com você.

1. Não levar em conta as particularidades da produção

Quando falamos de consultoria para produção agrícola, cada caso é um caso e as particularidades climáticas, biológicas e físicas da produção não devem ser deixadas de lado!

O primeiro passo é realizar um diagnóstico profundo através de uma visita técnica para que você entenda como são realizadas as atividades de manejo e o que precisa ser aprimorado. A visita deve incluir uma análise documental e entender se a produção está de acordo com as legislações vigentes.

Alguns pontos não podem ser avaliados somente na visita técnica. Selecione um laboratório especializado e garanta com que produtor realize análises de resíduos químicos, microbiológicas, água, solo e outras que forem necessárias.

Além disso, verifique onde se localiza a estação meteorológica mais próxima e solicite o levantamento meteorológico da região para mensurar fatores que influenciam diretamente nas atividades na produção, como a precipitação acumulada na safra e temperatura média em um período.

Fique atento às culturas para determinar quais insumos e boas práticas devem ser adotadas.

Isso sem esquecer da sazonalidade e região em que se localiza a produção, já que são alguns dos fatores mais importantes para alcançar resultados positivos no final de uma safra, por exemplo.

Atenção: alinhe com o produtor o que ele deseja e espera da consultoria para fazer com que os investimentos e as decisões tomadas sejam assertivas!

2. Não envolver o produtor no projeto

Como consultor, o desenvolvimento do seu trabalho deve funcionar de forma gradativa e educativa. Envolver todos que trabalham na produção é fundamental para alcançar bons resultados.

O produtor precisa executar e entender o porquê das mudanças adotadas. Isso faz com que o mesmo se motive e acompanhe a sua melhoria continuamente.

Imagine só: você diz ao produtor que a partir de hoje ele precisa registrar as atividades de manejo em um caderno de campo. Se ele não for instruído sobre a importância dessa atividade, esse processo será apenas mais um obstáculo na rotina pesada que já possui.

Por outro lado, se você explicar que o caderno de campo é a principal forma de controle das atividades de manejo, e serve como um guia para entender quando é necessário fazer a colheita, respeitando o período de carência, por exemplo, a percepção do produtor em relação a essa atividade será totalmente diferente. 

Além disso, não é o intuito da consultoria fazer com que o produtor se torne dependente do seu trabalho. É preciso que ele aprenda o que é necessário e tenha autonomia para dar continuidade às melhorias implementadas. Dessa forma o trabalho não se perde com o tempo.

3. Falha de comunicação

Existem diferentes produtores quanto ao nível de instrução, uso de tecnologias e experiências. Entenda qual é a linguagem ideal para se comunicar com o mesmo.

Para que o projeto dê certo, não podem restar dúvidas. Isso, muitas vezes, requer a adoção de uma linguagem menos técnica e mais simples e direta.

Além disso, a falha de comunicação também ocorre devido a falta de clareza quanto ao cronograma de trabalho. Defina quais atividades precisam ser executadas, qual a sequência dessas atividades e organize em um cronograma.

Isso garante com que os prazos estipulados sejam cumpridos e o produtor não fica com a impressão de que o projeto não está evoluindo. 

Lembre-se: Na maioria das vezes o consultor é contratado para resolver um problema “para ontem”, por isso a velocidade de entrega deve ser o seu diferencial!

4. Ausência de metodologia

A falta de planejamento em um projeto de consultoria compromete a evolução do produtor e os prazos estipulados. Ou seja, é preciso ter um padrão de acompanhamento. 

Vamos pensar juntos: se você faz uma visita técnica e analisa pontos como organização da produção, registros das atividades de manejo e utilização de insumos, esses controles devem ser analisados periodicamente, levando em consideração os resultados anteriores.

Quantas vezes você já visitou um cliente e esqueceu de anotar ou fotografar algum ponto? A avaliação sem registros se perde ao longo do tempo!

Utilize um checklist com todos os pontos que são necessários verificar na propriedade. Assim você terá dados claros para definir se a estratégia está adequada ou se precisar fazer alguma alteração, que seja feita o quanto antes.

5 maiores erros na consultoria agrícola
Checklist de visita técnica obtido a partir da ferramenta CLICQ da PariPassu.

Isso sem falar nas legislações! Lembre-se de que essa é a base para bons resultados na produção agrícola. De acordo com a INC n° 02 / 2018, por exemplo, a rastreabilidade deve ser assegurada para todos os elos da cadeia produtiva. Ou seja, esse ponto deve estar incluso no seu planejamento de ações.

Muitas vezes o registro de todas essas verificações realizadas no papel acabam se tornando uma armadilha para o consultor que, ao precisar de um registro específico, acaba não encontrando-o. 

Através da solução CLICQ, todas essas visitas de acompanhamento ao produtor são realizadas de forma automatizada, mantendo gráficos e tabelas de acordo com o desempenho do mesmo. 

Se você ainda tem dúvidas sobre esse tema, fique tranquilo! Solicite uma demonstração gratuita e saiba como o CLICQ pode ser o seu maior aliado na consultoria à produção agrícola.

5. Os resultados não ficam claros para o produtor

Por último, mas não menos importante, um erro bastante comum entre os consultores é não trazer os resultados de evolução do cliente de forma clara. 

Imagine só: você faz todo um trabalho de implementação de melhorias na produção e o produtor não consegue enxergar valor, porque não tem dados reais comparando a sua evolução mês a mês.

A partir do momento que você traz indicadores de desempenho, exibindo de forma objetiva as melhorias obtidas, o jogo vira! Quando você apresentar a evolução da nota de qualidade e planos de ações a partir de não conformidades mês a mês, por exemplo, você se torna a maior referência do produtor no quesito qualidade.

5 maiores erros na consultoria agrícola
Indicadores de desempenho obtidos através da ferramenta CLICQ da PariPassu.

O importante é que o relatório de resultados da produção seja elaborado de forma simples e visual. O produtor precisa bater o olho e entender como está o seu desempenho!

Como você pôde perceber o foco em resultados é a alma do consultor. Mas, para alcançar os mesmos, é preciso que um conjunto de aspectos estejam alinhados: particularidades da produção agrícola, cronograma de trabalho, comunicação entre produtor e consultor e uma metodologia bem estruturada.

A percepção de valor do seu trabalho é a melhor estratégia para lhe estabelecer como referência na área. A qualidade na entrega acaba sendo a sua melhor propaganda, já que um produtor satisfeito indica outros produtores e procura você novamente para novos projetos.

5 maiores erros na consultoria agrícola

Deixe o seu comentário

[fbcomments]

Artigos Relacionados

  • PariPassu

    8 podcasts imperdíveis para quem trabalha com alimentos

    continue lendo
  • PariPassu

    Tecnologias no Agronegócio: a importância de automatizar processos

    continue lendo