Sustentabilidade em supermercados: tendências e dicas para suas lojas

Quando vamos às compras, temos a oportunidade de fazer escolhas conscientes para minimizar nosso impacto na natureza. Os consumidores já estão fazendo mudanças em suas escolhas e se adaptando para melhorar o nosso planeta, porém não são os únicos.  Os supermercados também fizeram ajustes significativos em suas rotinas de loja e na forma como interagem com consumidores e produtos. Por isso, a sustentabilidade em supermercados é um tema tão relevante nos dias atuais.

Prefere escutar o conteúdo? Clique no player abaixo e aproveite:

 

Seja no ponto de venda (PDV) em contato direto com o consumidor ou no centro de distribuição (CD), o setor supermercadista tem a oportunidade de introduzir a sustentabilidade em suas lojas, armazenamento, recebimento e ofertas. Como? Neste post você vai saber mais sobre:

Esperamos que o conteúdo seja útil para você!

As 10 principais dúvidas sobre Inspeção de qualidade no recebimento de hortifrúti

Principais tendências no setor supermercadista

Com a sustentabilidade entre as três principais tendências que moldam o setor de varejo de alimentos em 2021 e 2022, muitos supermercados também começaram a dobrar seus compromissos ESG. Saiba mais sobre o tema a seguir e como a pandemia do novo coronavírus mudou o comportamento dos consumidores:

A pandemia e o impacto na sustentabilidade de supermercados

O interesse do consumidor por produtos e empresas sustentáveis ​​se intensificou nos últimos meses.

De acordo com o estudo Future Consumer Index, existe um alerta às empresas: elas enfrentarão pressões cada vez maiores para tornar suas operações mais sustentáveis. A pesquisa demonstra que a sustentabilidade se tornou um dos critérios relevantes de compra para 66% dos brasileiros e que 61% dos consumidores também passaram a achar importante observar os valores praticados pelas empresas das quais pretendem comprar os produtos. E isso não é diferente para o setor supermercadista.

Outro fator que contribuiu para a tendência de supermercados mais sustentáveis foram os dados do Instituto Socioambiental dos Plásticos, Plastivida, associação ligada à indústria, o qual estima que são usadas cerca de 13 bilhões de sacolinhas plásticas por ano no Brasil. Cada brasileiro leva para casa mais de 60 sacolas ao ano, sendo mais de uma por semana.

Ainda sobre o tema, o Greenpeace classificou 20 varejistas de alimentos populares nos Estados Unidos quanto aos esforços para reduzir o uso de plástico em 2021, dois anos após classificá-los em 2019, quando todos os varejistas pesquisados ​​receberam notas baixas. Nos últimos anos, muitas lojas passaram a proibir sacolas plásticas e fornecer embalagens reutilizáveis ​​ou biodegradáveis, mas muitas descontinuaram essas práticas durante a pandemia por temores irracionais de propagação do vírus, de acordo com o Greenpeace.

Então, como você pode imaginar, existe muita pressão sobre os supermercados para mudar seus hábitos e, felizmente, muitos fizeram ajustes para diminuir seu impacto sobre o ambiente. 

Entretanto, a sustentabilidade não reflete apenas às lojas dos supermercados, mas também às práticas agrícolas dos perecíveis oferecidos nas gôndolas, o tratamento de animais, as condições de trabalho e até mesmo o uso de defensivos agrícolas. Por isso, é importante que o varejo siga as diretrizes do ESG. Confira algumas delas.

ESG - Environmental, Social and Governance

Importantes redes de supermercados já levam a sustentabilidade muito a sério. Seus esforços se concentram não apenas no meio ambiente, mas também na responsabilidade social e governança corporativa - um grupo de tópicos conhecidos coletivamente como Ambiental, Social e Governança (ESG). 

Em outras palavras, uma avaliação da consciência coletiva de uma empresa em relação aos fatores sociais e ambientais. Afinal, esses dois objetivos - de sustentabilidade e sucesso comercial - de fato andam de mãos dadas: ações sustentáveis ​​compensam e existe um vínculo positivo entre ESG e desempenho financeiro. 

Em parte, essas medidas são reações às mudanças nas regulamentações, como por exemplo a Legislação de Resíduos da China que entrou em vigor no início de 2018, a qual proíbe importações de resíduos sólidos incluindo plásticos, produtos de papel e têxteis. Ao mesmo tempo, e ainda mais importante, os tomadores de decisão do varejo são motivados por um desejo genuíno de criar um impacto positivo para o mundo, juntamente com valor para seus negócios.

Tudo isso resulta em ações e estímulos no setor supermercadista em busca de diminuir os impactos negativos no planeta. Um exemplo é a rede Delhaize, na Bélgica, que oferece um aplicativo com alternativas saudáveis ​​para os compradores, com um desconto de 5% ou mais para incentivar a troca e diminuir a utilização de embalagens.

Para saber mais sobre ESG no setor agroalimentar, acesse nosso artigo completo clicando no banner abaixo:

blogpost esg-4

O que os consumidores esperam da sustentabilidade em supermercados

Desde sua fundação em 1978, o Conselho de Pesquisa de Varejo da Coca-Cola (CCRRC) conduz relatórios sobre questões que ajudam os varejistas a responder às mudanças do mercado. Dentre eles, o estudo “Sustentabilidade e varejo alimentar: um guia prático para incorporar a sustentabilidade e apoiar a comunidade durante o COVID-19 e depois”, realizado em parceria com a Murphy Research, demonstra que os consumidores afirmam que pagarão 4% a mais em uma loja de supermercado que apoie sua comunidade e o meio ambiente até quase 11 minutos a mais para ir até uma loja que tenha práticas e ações sustentáveis.

“O setor de supermercados deve ver essas descobertas como uma oportunidade de liderar em um espaço inevitável e importante”, disse o presidente do CCRRC, John Ross, CEO da IGA Inc. “Os clientes se preocupam com as questões de sustentabilidade e esperam que os varejistas que visitam compartilhem e ajam sobre esse sentimento. E, em última análise, fazer o que é certo será bom para os resultados financeiros”.

De acordo com a pesquisa, as iniciativas mais populares que os consumidores dizem que gostariam que os varejistas adotassem são:

  • Fornecimento de lixeiras para reciclagem no local;
  • Rotulagem de produtos produzidos ou cultivados localmente;
  • Oferta de pontos ou prêmios por resíduos economizados em compras e/ou reciclagem;
  • Fornecimento de sacolas biodegradáveis ​​para produtos;
  • Venda de produtos em uma ampla variedade de tamanhos para ajudar a limitar o desperdício de alimentos.

Leia também: As mudanças no comportamento do consumidor durante e pós-coronavírus.

 

BÔNUS: live com Hortifruti / Natural da Terra sobre o tema!

Para saber mais sobre Sustentabilidade em Supermercados, veja a live da PariPassu com a Hortifruti / Natural da Terra sobre o tema Práticas sustentáveis que você precisa ter em seu supermercado:

 

Espero que tenha gostado do texto de hoje. Até a próxima!