Blockchain na Agricultura: a revolução na cadeia de alimentos

A tecnologia Blockchain nasceu em 2008 dentro de um cenário favorável para o compartilhamento de informações. Desde então, seu formato se expandiu dentro de sistemas que visam a facilidade em trabalhar com informações conjuntas e compartilhadas. A princípio, já falamos em nosso blog sobre a relevância da Blockchain aplicada a rastreabilidade de alimentos e agora vamos te explicar as principais aplicações desta tecnologia dentro do agronegócio.

Ascensão: como a blockchain cria valor para diferentes negócios

O Brasil já é o 11º no mundo no uso de blockchain e além disso, já é previsto um investimento de US$ 2,1 bilhões no desenvolvimento de produtos segundo o estudo desenvolvido pela consultoria IDC. De forma simples, a nova tecnologia atua como uma rede de blocos encadeados que sempre carregam um conteúdo. No cenário de rastreabilidade, este conteúdo refere-se as informações de origem e destino em cada etapa da cadeia de alimentos. Neste caso, a eficiência é trabalhada de forma que o elo posterior contenha a informação do elo anterior.

como-funciona-o-sistema-rastreador-paripassu

Funcionamento da rastreabilidade na cadeia de alimentos – Solução Rastreador PariPassu

A precisão segura de registros validam a confiabilidade da auditoria, que no setor de alimentos, é fundamental para garantir a qualidade e segurança.

Comum no cenário de transações financeiras como a da moeda digital bitcoin, agora a tecnologia se mostra influente entre vários mercados. No segmento automotivo através da facilidade de gerenciamento da cadeia de suprimentos. No de seguros por meio de contratos inteligentes que reduzem riscos de fraudes de informações, e assim por diante.







A adaptação para o agronegócio

A blockchain transforma a cadeia de suprimentos agrícolas simplificando a transição entre produtores e varejo. Através da possibilidade de se identificar rapidamente as fontes bem como verificar desvios. Se uma irregularidade é detectada em algum lugar da cadeia de alimentos, o sistema pode levá-lo ao ponto de origem, o que torna as investigações mais fáceis e assertivas reduzindo a necessidade de múltiplas conferências.

Dessa forma, a porta de entrada para agricultores de pequena escala começam a sondar oportunidades. Ingressar na cadeia de fornecimento através da facilidade desenvolvida com a redução de intermediários se torna em oportunidade.

Como funciona a Blockchain?

Dentro das soluções PariPassu, o sistema rastreador que já conta com a nova tecnologia possibilita que produtores, distribuidores e varejistas trabalhem em conjunto com a finalidade de acompanhar o trajeto dos alimentos de forma 100% automatizada e em tempo real através das etiquetas de rastreabilidade QR Code vinculada a embalagem dos alimentos.

como-funciona-a-tecnologia-blockchain-na-rastreabilidade-de-alimentos

“Trabalhamos alinhado ao propósito da PariPassu, fomentando a transparência e a simplificação dos processos de controle e gestão do campo a mesa”. Explica André Donadel, Diretor de Operação da PariPassu.

Vantagens que você precisa saber

O objetivo prático da blockchain é assegurar a confiança entre todos os participantes da cadeia. Logo, isso é validado quando seu funcionamento elimina o papel de intermediários para certificar o funcionamento do processo.

Além disso, fatores como responsabilidade, transparência e segurança conta dentro das principais vantagens da tecnologia que são:

  • Distribuição de registros: as transações registradas são compartilhadas e visíveis para todos;
  • Privacidade: as transações podem ser verificadas para garantir a visibilidade de informações adequadas para a validação do próximo bloco.
  • Segurança de informações: como cada parte do sistema verifica a outra, as informações não podem ser fraudadas.

No Sistema Rastreador, assim como todas as soluções da PariPassu, já existe uma solução que possibilita a auditoria de toda ação de inserção, remoção e modificação dos dados, seja feita pelos clientes ou internamente, assim como quem a realizou, garantindo a segurança da informação. Com a adesão a Blockchain, o compartilhamento torna-se mais inteligente e acessível.

Quer ser o primeiro a acessar nossos posts? Assine as notificações e siga @paripassubr em nossas redes sociais!

Até a próxima 🙂

barbara-espirito-santo-paripassu

Deixe o seu comentário

Artigos Relacionados

  • PariPassu

    INC 02/2018: A rastreabilidade para hortifruti, e agora, o que acontecerá?

    continue lendo
  • PariPassu

    Rastreabilidade de vegetais frescos: como implementar o sistema que atende a INC 02/2018

    continue lendo