A sua empresa está preparada para recall de alimentos?

POR PariPassu

Leite, molho de tomate, doces e geleias. Você sabia que todos esses produtos já sofreram recall no Brasil nos últimos três anos? Os principais motivos para estes recolhimentos são contaminação, matérias estranhas acima dos limites previstos em legislação, problemas de rotulagem, fungos e larvas.

Todos estes problemas apontam falhas relacionadas com inspeções e controles de qualidade que não foram eficazes e que comprometem a segurança dos alimentos.

Ações que podem evitar um recall de alimentos…

Já falamos aqui sobre sugestões importantes para direcionar melhorias e ações a serem tomadas. O controle efetivo dos processos, que envolvem a produção até a entrega do produto ao consumidor final, é fundamental para a garantia da qualidade dos alimentos.

Procedimentos definidos e bem estruturados para realizar as inspeções e controle de qualidade vão mostrar quais são pontos fracos que precisam ser revistos durante a produção. Acompanhar seus fornecedores, realizar as inspeções de qualidade de processos e produtos, além de monitorar a qualidade e a exposição dos seus produtos nos seus clientes, ou seja, no ponto de venda, são ações que apoiarão a prevenção de recolhimento.

A sua empresa está preparada?

A RDC nº 24/2015 da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) orienta empresas sobre conceitos, responsabilidades e práticas detalhadas para a realização do recall de alimentos.

Uma empresa que não tem ações bem definidas, incluindo responsabilidades, definitivamente não estará preparada para retirar um produto do mercado. Por isso, elaborar um Procedimento Operacional Padrão (POP) é o primeiro passo da preparação para o processo de recolhimento.

Mas um POP não faz nada sozinho. Para fazer a retirada do produto do mercado é preciso encontrar a causa da não conformidade detectada e, para isso, é preciso ter informações seguras de rastreabilidade do produto. A RDC nº 24/2015 define que deve existir um procedimento que permita o acesso às informações da origem e do caminho percorrido pelo produto ao longo de todas as etapas da cadeia produtiva.

Tenha todas as informações na mão e responda rápido!

A resolução da ANVISA exige a entrega de um mapa de distribuição dos lotes objeto de recolhimento. A imagem da empresa frente à agência e consumidor final durante a realização do recall, pode ser prejudicada quando ela demonstra dificuldade em obter estas informações.

Nestes casos ter um sistema de rastreabilidade integrado à um de recall faz toda a diferença. Ter na sua mão informações que te digam de onde foi recebido, para onde foi enviado e em quais processamentos foi utilizado um produto não conforme vai facilitar e agilizar sua comunicação com o consumidor final e com a ANIVSA.

Veja como..

Assista este vídeo de 1 minuto e veja como acompanhar o caminho percorrido por cada produto através do código de rastreabilidade do Sistema Rastreador:

Não espere acontecer..

Investir em tecnologias que tornem fácil relacionar dados de diferentes etapas da produção – como manejos de campo, controle de qualidade, beneficiamento e ponto de venda – é o que diferencia empresas em relação não só a concorrência, mas principalmente, frente ao consumidor final.

Um processo de recall envolve custos altos, por isso, não espere uma não conformidade acontecer para aplicar medidas de prevenção e implementar um processo de recall comprovadamente eficiente.

+  Conteúdos gratuitos

Elaboramos um eBook completo onde você vai encontrar o que é recall, a legislação vigente, os principais casos no Brasil, como estruturar um procedimento de recolhimento e também um exemplo prático de tratamento de uma inconformidade.

Vamos lá? Clique aqui e baixe agora.

Deixe o seu comentário

Artigos Relacionados

  • PariPassu

    5 aprendizados sobre Inspeções de Qualidade de Processos

    continue lendo
  • PariPassu

    O que a sua empresa ganha investindo na Gestão de Fornecedores?

    continue lendo